Fornos 4.0 – Processo batelada

Fornos 4.0 – Processo batelada

Por definição, fornos bateladas são aqueles em que a carga permanece na mesma posição durante todo o ciclo. Ou seja, a cada processo térmico, um lote. Se as cargas produzidas passam pelo controle de qualidade e cumprem seu papel em sua aplicação final, a missão do fabricante foi cumprida. No entanto, infelizmente falhas acontecem. Como evitá-las ou rastreá-las?

É aqui que a Internet Industrial pode facilitar consideravelmente a vida dos vários envolvidos. Um software pode monitorar e registrar os principais parâmetros de todos os processos executados naquele equipamento. Quando em monitoramento, o software mostra todo o processo em tempo real, avisando na tela e também via aplicativo e SMS os desvios encontrados, por exemplo: “Temperatura da zona X está ultrapassando os limites desejados”.

No caso do registro, quando uma falha for identificada, se rastrearia o número do lote. Com o número do lote, um usuário habilitado entraria no site específico tendo então a oportunidade de consultar:

– Operador responsável pelo tratamento;

– Hora de entrada e saída da carga;

– Gráfico do set-point;

– Gráfico das temperaturas versus tempo de todas as zonas do forno;

– Consumo de gás e/ou de energia elétrica;

– Eficiência energética do processo.

O consumo energético é extremamente importante para o gestor do processo. Por meio deste parâmetro, sabe-se o custo energético do lote produzido em R$/batelada, e assim se pode avaliar como reduzir este custo.

A vida do mantenedor também é facilitada, já que todas as anomalias, como destravamento de porta, falta de energia, falha em bombas, falha nos queimadores ou resistências elétricas são visíveis e registradas como eventos. Tratando as informações desses registros, pode-se implementar algoritmos que elevam a manutenção preditiva a um nível superior.

Toda a base de dados coletados pode ser utilizada, atribuindo-se assim inteligência ao forno e ao próprio processo, contribuindo para um processo produtivo eficiente e rastreável.

Muitas outras funções podem ser incorporadas neste Sistema Físico Cibernético (CPS). Uma delas é a função tutorial onde o forno capacita ou recicla os conhecimentos do seu operador através de vídeos e testes práticos executados na própria interface homem-máquina.

Curiosamente, processos térmicos são operações vitais para a produção de vários materiais utilizados nos componentes eletrônicos, os quais permitem a existência e a expansão da Internet: alumínio, vidro, fibra de vidro, plástico, cobre, entre outros. E agora, tais componentes, somados à inteligência humana, estão promovendo a melhoria dos processos térmicos. É a criatura podendo colaborar com o criador.

 

Claudio H. Goldbach
Claudio H. Goldbach
Engenheiro Químico com pós em Gerenciamento Ambiental na Indústria, ambos pela UFPR. Atualmente, é Diretor da Perfil Térmico Aquecimento e Isolamento Industrial Ltda. e da Termia Technology Corporation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *