Classificação das têmperas nas ligas de alumínio: O que são e o que devemos saber sobre elas?

Classificação das têmperas nas ligas de alumínio: O que são e o que devemos saber sobre elas?

As propriedades das ligas de alumínio dependem de uma combinação de composição química e resposta ao tratamento térmico e / ou tratamentos mecânicos (trabalho a frio, por exemplo). Desta forma, é importante a existência de um sistema de classificação que identifique o estado exato ou a condição do material em qualquer ponto do seu processo de produção. As classificações das têmperas nas ligas de alumínio fazem exatamente isto, mas são muitas vezes objeto de angústia entre os tratadores térmicos. É hora de esclarecer quaisquer confusões. Vamos aprender mais.

Para entender melhor as classificações da têmpera é importante lembrar que existem duas categorias de alumínio: as ligas tratáveis termicamente e as ligas não-tratáveis termicamente. Por exemplo, nas séries 1xxx, 3xxx e 5xxx as ligas de alumínio trabalhadas mecanicamente não podem ser endurecidaspor tratamento térmico. Estas ligas não-tratáveis termicamente produzem ótimas propriedades mecânicas obtidas devido ao encruamento, isto é, por meio da aplicação de trabalho a frio.

Por outro lado, as séries 2xxx, 6xxx e 7xxx correspondem às ligas de alumínio trabalhadas mecanicamente e tratáveis termicamente, enquanto a série 4xxx consiste em ambos, são ligas tratáveis termicamente e não-tratáveis termicamente. As ligas fundidas (obs.: métodos de endurecimento por trabalho mecânico – encruamento, geralmente, não são aplicáveis às ligas fundidas) das séries 2xx.x, 3xx.x, 4xx.x e 7xx.x são tratáveis termicamente.

O sistema de classificação das têmperas é utilizado para todas as formas de alumínio e ligas de alumínio, tanto os trabalhados mecanicamente quanto os fundidos, exceção feita aos lingotes, e é simplesmente uma extensão do sistema de numeração das ligas, a qual consiste de uma série de letras e números (Fig. 1) que seguem o número de classificação da liga, sendo separados por um hífen (por exemplo, 6061-T6). Se alguma outra variação for aplicada à sequência de operações básicas na mesma liga, resultando em características diferentes, então, dígitos adicionais serão acrescidos à classificação.

Classificação Básica das Têmperas

A Tabela 1 contém uma lista com as classificações de têmperas mais comuns. A Tabela 2 apresenta uma lista com algumas das subdivisões mais comuns das têmperas básicas mostradas na Tabela 1.

Variações das Têmperas

A adição de um dígito após a letra O, quando utilizado, indica um produto na condição recozida e com características especiais (Tabela 3). É importante notar que a têmpera O não é parte da série (H), as quais são endurecidas por encruamento. As variações da têmpera O não são aplicadas aos produtos que são endurecidos por deformação mecânica após o recozimento, nos quais os efeitos considerados nas propriedades mecânicas ou em outras características deve-se ao encruamento.

Têmperas não Registradas

A letra P é utilizada para indicar as variações das têmperas H, T e O que são negociadas diretamente entre o fabricante e o cliente. A letra P é seguida imediatamente pela classificação de têmpera que mais se aproxima da utilizada.

Referências

1. Kopeliovich, Dmitri, “Temper Designation of Aluminum Alloys”, SubsTech Materials Forum (www.substech.com);
2. Anderson, Tony, “Understanding the Aluminum Alloy Designation System,” AlcoTec (www.alcotec.com);
3. MIL-DHBK-5H, Chapter 3, “Aluminum”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *