IFHTSE – Fazendo contatos através das fronteiras

IFHTSE – Fazendo contatos através das fronteiras

A International Federation for Heat Treatment and Surface Engineering (IFHTSE) é, em muitos aspectos, simplesmente uma rede (network) que tem sido um sucesso por quatro décadas. Também tem sido uma “organização virtual” desde antes deste termo ter sido cunhado. Estruturalmente é formada por um corpo de membros controladores formando uma rede global de uma variedade de tipos de organizações e indivíduos com um interesse comum no desenvolvimento industrial da esfera econômica crítica dos processos de tratamento térmico e engenharia de superfície, com desenvolvimentos práticos, científicos e tecnológicos.

Em geral, os membros da IFHTSE são empresas, associações ou grupos com base na Austrália, Brasil, China, Egito, Europa, Índia, Japão, Coreia, México, Rússia, Tailândia, Turquia e os EUA. Como qualquer organização, ela só pode funcionar por intermédio do trabalho dos indivíduos. Consequentemente, é também uma rede que une a maioria dos peritos no assunto e em muitos assuntos de interface. A abordagem multidisciplinar é a norma, e a IFHTSE tem sempre ligado os interesses das engenharias de materiais e mecânica.

A ciência, tecnologia e processos do tratamento térmico e engenharia de superfície estão espalhados por toda a indústria e afetam a vida de todos. Muitos problemas, desafios e oportunidades são especificamente nacionais ou mesmo regionais ou locais, mas a indústria é global. Em nossa opinião, há algumas áreas em que apenas uma abordagem multinacional – com a partilha de conhecimento – pode realmente fazer sentido. A IFHTSE tem contribuído ao longo dos últimos 40 anos ou mais em áreas tão óbvias como:

– Troca de informações e um planejamento coordenado para programas de conferências e exposições;
– Trabalha com autoridade para uma equivalência da terminologia técnica multilíngue.

Mas, muito mais do que isso, a IFHTSE tem sido ativa em muitas outras áreas onde a colaboração através das fronteiras faz a diferença, como a gestão de energia, aspectos de desenvolvimento do processo de aceitabilidade ambiental e de propriedade e dados de desempenho para modelagem e simulação. Além disso, a IFHTSE tem trabalhado na área de educação e formação. Se o esforço industrial é global – e muitos mercados empresariais só podem fazer sentido em uma base através das fronteiras – o mercado de trabalho também se torna internacional. Networking significa principalmente o contato e a comunicação, mas também produziu saídas tangíveis e intangíveis, incluindo:

– Global 21 – Um projeto lançado em 2007 para criar um quadro para um estudo contínuo do estado da arte e as tendências de desenvolvimento esperados em tratamento térmico e engenharia de superfície neste século. Além de oficinas e discussões formais e informais, trabalhos especializados sobre uma série de temas econômicos, científicos e industriais foram especialmente escritos;
– A revista oficial da IFHTSE, International Heat Treatment and Surface Engineering;
– Um glossário multilíngue com 2.500 palavras com termos de tratamento térmico e engenharia de superfície;
– A ISO-9950 para ensaios de óleos de têmpera;
– Uma grande quantidade de materiais para educação e treinamento;
– Um programa de conferência significativo;
– Uma ampla gama de literatura das conferências, somando-se às publicações como o Handbook of Thermal Process Modeling of Steels and Quenching Theory and Practice em colaboração com editores bem conhecidos;
– Colaborações específicas estão sendo alinhadas, tais como aquelas entre organizações na Europa e no Brasil.

Duas novas ações, com certeza de participação multinacional, são:

– LQD – Liquid Quenchants Database Project, um estudo comparativo dos meios refrigerantes para têmpera;
– TOOL – Um projeto para estabelecer “a melhor prática” no tratamento térmico de materiais para ferramentas selecionados.

Tudo isto leva tempo e esforço (uma grande parte disto voluntária!), mas muitas pessoas têm realmente constatado que ser ativo nessa rede tem ajudado em suas carreiras. Eles também têm colhido os frutos de ser parte de um “clube” global. Tem sido repetidamente provado que é possível colaborar sem prejudicar a competitividade no negócio global! Uma forte motivação para a criação da IFHTSE em 1970-71 foi a manutenção da colaboração de leste a oeste contra o contexto político bastante tenso da época.

A maioria das tensões daquele período foi flexibilizada, mas as mudanças econômicas globais e as novas tensões, desde então, têm enfatizado a importância de manter a interação através das fronteiras. Assim, há uma necessidade mais urgente e contínua (alguns disseram) para que a rede mundial seja prolongada e haja colaboração entre especialistas de todos os continentes. No dia a dia, a IFHTSE é operada pelo presidente, vice-presidente, tesoureiro e eu (como secretário-geral), auxiliado pelo restante de um comitê executivo que tem membros de 11 países. As perspectivas para a continuidade e até mesmo a ampliação das ações como as descritas aqui são boas, mas estamos conscientes de que devemos incentivar a entrada de sangue novo e mais jovem entre os militantes da Federação como um todo. Qualquer pessoa disposta a oferecer esforço e ideias é bem-vinda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *