O fim de uma era

A fabricante Volkswagen decidiu não adaptar o veículo às novas regulamentações exigidas pelo Contran para 2014, e assim a Kombi provavelmente deixará de ser produzida no Brasil no final de Dezembro de 2013

Neste final de ano deixa de ser produzido um dos ícones da indústria automobilística brasileira e, por que não dizer, mundial: a Kombi. A fabricante Volkswagen decidiu não adaptar o veículo às novas regulamentações exigidas pelo CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) para 2014, e assim a Kombi provavelmente deixará de ser produzida no Brasil no final de Dezembro de 2013. A regulamentação do CONTRAN prevê que todos os veículos produzidos no Brasil a partir de 2014 possuam instalados airbag frontal duplo e freios com sistemas antiblocantes ABS.

Ainda no meio do mês de Dezembro o ministro Guido Mantega havia cogitado a hipótese de adiar a entrada em vigor da regulamentação, mas dias depois o governo voltou atrás e anunciou a decisão de manter a obrigatoriedade. No caso da Kombi, possivelmente substituída proximamente por um modelo similar que incorpore os sistemas de segurança, o fim de sua fabricação afetará também outro setor de produção na montadora: o tratamento térmico. O modelo ainda utilizava partes e peças tratadas termicamente dentro da Volkswagen, como era comum em outros modelos produzidos anteriormente pela empresa. Como as então chamadas fabricantes de automóveis encontravam dificuldade para achar as peças corretas para seus modelos, elas próprias se tornavam fabricantes também de autopeças.

O tratamento térmico interno da Volkswagen foi, durante anos, considerado um dos maiores e mais bem equipados parques de equipamentos térmicos disponíveis no Brasil. Possuía os melhores e maiores fornos de tratamentos térmicos, muitos deles importados, e eram dirigidos por técnicos de renome, como por exemplo o Sr. Werner Guese, que por muitos anos gerenciou o setor na Volkswagen.

Com o passar dos anos as fabricantes de autopeças se especializaram na fabricação e fornecimento de sistemas completos às montadoras, e estas gradativamente pararam de produzir peças. Com a desativação da fabricação da Kombi, este ícone do tratamento térmico brasileiro deve ver afetada a sua produção.

Última edição do ano, mais uma página virada. Ano com muitas novidades na IH, novas colunas, novas seções, mais artigos por revista. E por falar em novidades, temos o lançamento da coluna Panorama Legal, tratando nesta edição sobre Hedge Cambial e Revisão Contratual. Escrita pelo advogado e sócio da MTC Advogados, Luis Felipe Dalmedico Silveira. Fred Lacerda nos brinda com outra novidade: a História da Siderurgia, coluna que passa a integrar a revista.

E o Manual do Tratamento Térmico entra em outro capítulo, o da tecnologia a vácuo. Escrita por outro profundo conhecedor do assunto, João Carmo Vendramim.

E também nos orgulhamos por mais um sonho concretizado em 2013: a realização de eventos da área, de cursos a treinamentos, passando por seminários e encontros, por meio da nossa divisão de eventos, o Grupo Aprenda. E 2014 vem aí com muita novidade. Que venha. Estamos preparados!

Boa leitura!

Udo Fiorini
Udo Fiorini
Sócio por 10 anos de uma empresa de fornos industriais. Formado em jornalismo pela PUC Campinas, desde 2008 edita no Brasil as revistas Industrial Heating e Forge. Sócio da empresa Grupo Aprenda que realiza cursos, seminários e eventos voltados para as áreas atendidas pelas publicações da S+F Editora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *