Presidente da FIESP destaca a importância do setor logístico para a retomada do crescimento da Economia

Presidente da FIESP destaca a importância do setor logístico para a retomada do crescimento da Economia

A área de logística é uma das mais estratégicas e apresenta elevado potencial de crescimento na economia, pois até 2018 devem ser investidos R$ 177 bilhões no setor. Na contramão da economia, a tendência dos empresários é investir na participação de eventos como a Movimat – Salão Internacional da Logística Integrada, que será entre 20 e 22 de Setembro, no Pavilhão Branco, do Expo Center Norte, em São Paulo. O lançamento da feira ocorreu no último dia (06/06), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), durante as comemorações do Dia da Logística, promovida pela Associação Brasileira de Logística (ABRALOG) e reuniu líderes do setor e entidades ligadas à logística.

Há mais de 30 anos atuando no mercado de movimentação e armazenagem, a Movimat consolidou-se no mercado como o único evento que trata a logística de ponta a ponta. Isto é, o evento traz soluções desde intralogística, passando por condomínios, tecnologia da informação, segurança e gestão de risco até diversos fornecedores de soluções multimodais. “Se antigamente falávamos apenas de movimentação logística dentro das empresas, hoje, estamos expandindo esse conceito e buscando agregar toda a cadeia logística. Essa é uma forma de auxiliar as empresas a aperfeiçoarem seus custos nos processos logísticos”, afirmou.

Sobre a atual situação econômica, Almeida aposta que o setor de logística será um dos que se recuperará rapidamente após a recessão. “É difícil encontrar um setor da economia que não utilize serviços logísticos. E, assim que a situação econômica for retomada, depois desse sabático econômico dos últimos dois anos, esse será com certeza dos primeiros setores a se reerguer e com a força que vinha demonstrando antes”, salientou. A Movimat estima receber 28 mil visitantes, que representam mais de 50 setores da economia.

Retomada da economia

O presidente da FIESP, Paulo Skaf, esteve no evento em comemoração ao Dia da Logística, e enfatizou que é hora de retomar a estrada da economia. Ele parabenizou os profissionais pela data comemorativa, missão e trabalho de quem tem cuidado do setor no país. Ele destacou a importância dos empresários que atuam nessa área e a responsabilidade de impulsionar a economia. Skaf salientou que o momento é de união de todos os setores da economia e que juntos devem debater uma solução para o Brasil. “Não é hora de discutir o problema da logística, dos hospitais, do comércio, porque temos um problema maior que é do Brasil. Nós temos que buscar uma solução para o país, pois todos vão tirar proveito disso. Se soltem um pouco do setor e vamos nos unir por uma causa maior, só assim vamos recuperar a economia brasileira.”, alertou.

Segundo ele, o novo momento traz a expectativa de melhora em toda população para que ocorram mudanças positivas. “Agora estamos num novo momento que reacende a esperança, que não está em pessoas, vai depender de nós.”, finalizou.

Infraestrutura é a saída

Para o presidente da Associação Brasileira de Logística (ABRALOG), Pedro Francisco Moreira as obras de infraestrutura são uma das poucas saídas possíveis para que o governo interino possa dar início à retomada do crescimento econômico. “A Associação Brasileira de Logística acredita que uma grande cartada para o governo seria erguer com vigor a bandeira da infraestrutura, pois os logísticos não têm dúvidas de que a retomada econômica do Brasil passa pela infraestrutura, passa pela logística”, declarou.

E explicou que erguer a infraestrutura é uma proposta de assimilação simples – e, além disso, uma necessidade já debatida exaustivamente nos últimos anos por todos os setores envolvidos.
O evento em comemoração Dia da Logística teve como convidado Fernando Cotrim, diretor de supply chain dos Jogos Olímpicos Rio 2016. As Olimpíadas envolvem a maior operação logística em período de paz e segundo Cotrim, o evento exigirá o uso de 250 quilômetros de vias e movimentará 30 milhões de itens. “É a primeira vez que os Jogos ocorrem na América do Sul e pode ser um momento de virada para o Brasil mostrar o que o país pode fazer e como podemos entregar um evento desse porte”, almeja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *