Seminário discute Protocolo de Comunicação para a Indústria 4.0

Seminário discute Protocolo de Comunicação para a Indústria 4.0

Para debater as tecnologias de coleta e transmissão de dados em forma digital entre máquinas e equipamentos, seu armazenamento, processamento e análise, considerado instrumento fundamental na implementação de conceitos da Indústria 4.0, foi realizado o Seminário Protocolo de Comunicação na Indústria 4.0, durante a Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial (EXPOMAFE), 12 de maio, no São Paulo Expo.

O seminário foi coordenado pelo João Alfredo Delgado, diretor de Tecnologia da ABIMAQ, e participaram do evento, profissionais de empresas fabricantes de máquinas e equipamentos de tecnologia de manufatura, integradores de sistemas de manufatura e automação industrial, diretores e gerentes de produção, engenheiros de sistemas e administradores da cadeia produtiva.

De acordo com Delgado, entre os muitos recursos tecnológicos empregados na Indústria 4.0, um dos mais importantes para seu funcionamento é a comunicação entre as máquinas, equipamentos periféricos e, eventualmente, sistemas de gestão, que permite que linhas de produção e montagem troquem informações entre si ao longo do processo, inclusive em diferentes unidades fabris, e tomem decisões, por exemplo, sobre produção, manutenção, compras e estoques de forma inteligente e autônoma.

Durante o evento foram ressaltados os benefícios de protocolos e da normalização da informação transmitida, que incluem, entre outras coisas: a iniciação da automação da produção, desde a sua forma simples até a mais complexa; as comunicações entre máquinas, acessórios e equipamentos periféricos; a visibilidade total da linha de produção em qualquer meio de comunicação ligada à rede da internet; e a viabilização da manutenção preditiva e preventiva.

Especialistas

Bruno Gellert, coordenador do Grupo de Trabalho de Manufatura Avançada (GT-MAV) da ABIMAQ e fundador da Peerdustry – Manufatura Compartilhada, abordou a Introdução a Indústria 4.0 no chão de fábrica. Ele colocou que quando o tema é Manufatura Avançada, muitos dos empresários no Brasil têm a visão de que isto é algo do futuro e que em algum momento chegará no Brasil. “A indústria brasileira já possui diversos exemplos de empresas que utilizam sistemas de Manufatura Avançada e também de empresas nacionais com soluções globais”.

Marcos Giorjiani, diretor da BECKHOFF New AutomationTechnology, falou de Sistemas de Captação, Transmissão, Análise, Armazenamento e Processamento de Informação Digital na Produção. “Desde o final da década de 60 a digitalização da produção vem evoluindo e essa evolução é claramente visível nos sistemas de controle atuais”.

Para Giorjiani, atualmente os sistemas de captação, processamento e análise, armazenamento e transmissão dos dados de produção fundem-se à da Tecnologia da Informação, ampliando ainda mais as possibilidades do uso racional de recursos (energia, matéria prima e mão de obra), de melhoria da qualidade e de entrega de produtos que atendem mais satisfatoriamente os consumidores.

Tim Shinbara, vice-presidente de Tecnologia da The Association For Manufacturing Technology e diretor executivo do MTConnect Institute (AMT), ministrou palestra sobre Normalização da Informação – Protocolos de Informação. Ele mostrou os elementos que viabilizam a Indústria 4.0 e apresentou o mapeamento do MTConnect como um viabilizador da próxima geração do ecosistema da manufatura. A apresentação teve como enfoque o MTConnect, um protocolo de comunicação de arquitetura aberta, sem custos de royalties, que provê um dicionário de informação comum para permitir conectividade e interoperação de máquinas e acessórios. O MTConnect é considerado o bloco fundamental para a Internet Industrial das Coisas (IIoT), Industria 4.0, Manufatura Esperta (Smart Manufacturing) e outras iniciativas avançadas a nível mundial.

Antonio Carlos Gomes, professor da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (FACENS), falou do futuro da produção com sistemas avançados de manufatura. Ele destacou como as empresas têm se beneficiado com a implementação da tecnologia de Manufatura Avançada, inclusive dos protocolos de comunicação, tanto no chão de fábrica como no gerenciamento da produção em empresas locais e globais.

Debate

As apresentações foram seguidas de uma sessão em que os participantes tiveram a oportunidade de fazer perguntas aos apresentadores e o seminário se transformou em um fórum aberto e interativo sobre os vários aspectos da implementação da Indústria 4.0 no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *