Como recuperar calor dissipado resultante de combustão

Como recuperar calor dissipado resultante de combustão

Economize energia, economize dinheiro

O amplo uso de queimadores regenerativos para pré – aquecer o ar de combustão aumentou a eficiência em quase toda a indústria de processamento térmico. A economia no consumo de gás paga o equipamento e reduz a emissão de carbono. Para a maioria dos consumidores industriais, entretanto, ainda há possibilidades para recuperar e reaproveitar muito do calor desprendido que está sendo dissipado de suas fábricas.

Incentivos fiscais e diversos programas energéticos podem ajudar a custear um projeto, e uma legislação emergente forte poderá pressionar a indústria com a finalidade de reduzir emissões de gás carbônico. Aqui estão algumas abordagens práticas para este quesito atual.

 

Aqueça seu tanque de lavagem ou de enxágue

Meça o fluxo e a temperatura das correntes de exaustão. Deve ser identificada uma fonte de calor que seja adequada para suprir a totalidade da necessidade ou, pelo menos, que aumente significativamente a demanda existente.

A exaustão proveniente de combustão pode ser canalizada para a unidade recuperadora de calor com um trocador de calor gás-para-líquido, afim de pré – aquecer um aquecedor de água ou outro processo similar (Fig.1). Muitos processos relacionados com calor tem, pré ou pós, tanques de banho ou enxágue aquecido, bons candidatos para receber o calor recuperado.

Muitos processos ligados ao calor são precedidos ou seguidos por um tanque de banho ou enxágue aquecido, que passa a ser um bom candidato para usar o calor recuperado.

Tanques de enxágue, aquecedores de água e outras aplicações podem ser aquecidos diretamente na unidade recuperadora de calor. Outros fluidos poderão ter que ser aquecidos indiretamente (usando um trocador intermediário de calor) devido aos componentes químicos ou impurezas.

 

Métodos de controle do processo

O desafio é o de combinar a demanda de calor recuperado com o fornecimento disponível de calor. Um modo de resolver isto é direcionar somente a quantia de calor necessária da exaustão utilizando um simples damper para desviar o calor e excesso ao redor do trocador, controlando a quantidade de calor requisitada. Um método alternativo é da utilização de sopradores de exaustão de velocidade variável.

Uma sonda de temperatura no tanque pode ser utilizada para dar partida na unidade recuperadora de calor, e outra sonda de temperatura na saída da corrente aquecida pode ser usada para controlar proporcionalmente o damper da chaminé ou do soprador de velocidade variável. Isto evitará qualquer super aquecimento do fluido de transferência de calor.

Se não houver calor suficiente para satisfazer plenamente a demanda, considere um pré – aquecimento ou uma assistência ao sistema em uso. Para grandes correntes de exaustão, considere uma abordagem modular usando diversas unidades para diferentes consumidores (Fig. 2).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *